Amantes Ocasionais
-5%

Amantes Ocasionais

Reyes, Lígia / Escritor

13,00 €
12,35 €
IVA incluido
Editorial:
Editora Urutau GD7
Año de edición:
2022
Materia
Literatura-poesía
ISBN:
978-65-5900-269-6
Páginas:
94
Idioma:
Portugués
Encuadernación:
Rústica
Alto:
160mm
Ancho:
125mm
13,00 €
12,35 €
IVA incluido
Añadir a favoritos

Este não é um prefácio. É um aviso de segurança. Toda Beleza deveria trazer junto um desse. A Beleza é um mal, uma praga, do tipo irreversível. A Beleza é uma peste. Eu poderia não avisar e deixar que você se transformasse sem consciência. Principalmente porque a estética moderna, meio junkie, meio urbana de Lígia Reyes engana. Ela é sorrateira. Aquele tipo de noite que não nos deixa dormir, e nunca mais somos os mesmos depois. A verdade é que Lígia Reyes é perigosa. A doçura nos embebeda sem percebermos. A caneta de Lígia é um desses entorpecentes colocados em bebidas na madrugada. Acontece que, ao invés de um rim, os poemas da Lígia talvez tirem a sua inocência.
É sutil, sabe, você lê como quem toma um gole e, quando vê, está sozinho (a), como todos os outros.
Mulheres como Lígia estão aqui para serem mais uma. Para que os desavisados se percam. Se você for um filho bastardo de homens sem causas nobres, talvez se queime. Tomara que se queime. Permita-se queimar. Vai fazer muito bem. Agora, se você for uma mulher a atravessar a escuridão, o ardor de um céu, ou uma jovem em um colete de forças pronta para a humilhação, Lígia guiará o princi´pio de todas as eternidades.
É um favor que faço, percebe?, ao colocar um aviso de segurança aqui, no lugar do prefácio. Depois você vai achar que as janelas abertas são sinais de voo e que o amor é isso. Não me diga que não avisei.
“Os Amantes” de Magritte se cobriam de uma forma diferentes dos Ocasionais de Lígia. Os amantes de Lígia se escondem nas esquinas, nas vielas, nas tabernas, nos Galetos e, principalmente, nas palavras. Mas a palavra é traiçoeira, a cada uma somam-se as entrelinhas, e é no entre que a poesia se revela. Nos revela. A revelação de Lígia, caro(a) leitor(a), já aviso, será a sua própria revelação. Vá consciente e depois não diga que não disse.
Os amantes de Lígia não têm os rostos cobertos. Pelo contrário, estão profundamente à mostra. Mas são muitos, muitos, muitos, a tal ponto que os rostos se tornam mosaicos insuportáveis. Narciso enlouqueceu e vê espelho em qualquer face. Os amantes de Lígia estão no começo do século XXI. Estão aqui. São ácidos, apaixonados, tristes e tantos, que são nenhum.
Talvez você conheça Lígia de O Amor peixe e outras loucuras, então você já sabe um pouco do que estou falando, mas não tudo. A poesia de Lígia se transformou, está mais traiçoeira, mais afiada, e, querido(a) leitor(a), quando você olhar o mar na cama de alguém, vai perceber que o oxigênio é uma invenção da boca da poeta.
Acontece, leitor(a), que a vida sem Beleza, sem paixão, sem pathos, é um acordar para contar as horas. É preciso “nem que sejam apenas alguns segundos/escrever sob influe^ncia do suicídio” para sentir-se realmente vivo(a). Mergulhe no oxigênio que Lígia Reyes lhe oferece.
“Pelo menos existiu um adeus que doeu,
e nada me foi neutro ou vulgar”
Deste livro e do amor ocasional ningue´m sai inco´lume.



Maria Giulia Pinheiro

Artículos relacionados

  • Linha de corte
    Cruz, Daniel / Escritor
    Linha de corte nos convoca a uma experiência de leitura que ultrapassa as gramaturas do papel. Alinhadas no desenho de uma geografia de fronteiras, palavras nos conduzem por uma narrativa traçada à medida de uma voz que preenche os tempos certos em espaços controversos. E não poderia ser diferente. Como num slam poetry, catalisador criativo de parte dos poemas que dão corpo a e...
    En stock

    13,00 €12,35 €

  • Exílios
    Mendes, Rafael / Escritor
    Rafael Mendes vive numa espécie de desterro: Irlanda, depois Espanha, depois Irlanda outra vez. Vindo do interior de São Paulo, assim como eu, Rafael Mendes versifica um mundo muito próximo daquele que reside na minha memória mais íntima. Mesmo quando fala das ruas de cidades seculares no Velho Mundo que jamais avistei. Mesmo aí me identifico com o poeta: em terra estrangeira. ...
    En stock

    14,00 €13,30 €

  • Rotativa
    Varela, Mariana / Escritor
    O poeta definirá a quantidade de desconhecido que em sua época desperta na alma universal, afirmou Rimbaud, em sua Carta do vidente. Isso por que a linguagem é o que organiza e separa tudo aquilo que pode ser reconhecido. Nomear é dar a ver, é retirar algo de sua invisibilidade. A poesia, experimentação por excelência da linguagem, faz emergir o insólito, o insuspeito, o que an...
    En stock

    13,00 €12,35 €

  • Era necesario no sucumbir, una vida para Laura
    Cabral, Juana / Escritor
    Joana Cabral sumerge al lector en un complejo laberinto emocional, hiperfragmentado y sin descanso, para hablar de la búsqueda de un estado de tranquilidad imposible.En laberintos de lapsos de memoria y certezas no confirmadas,Laura busca su verdad y, cuanto más busca, más distante y solo se encuentra a sí misma.La historia de Laura no se trata de una mujer que busca su verdade...
    En stock

    14,00 €13,30 €

  • Amor desamor
    Fernandes, Edgard / Escritor
    Algures no passado, ( 2015 ), um homem abandonado pelo seu Único e Verdadeiro Amor, passou os seus últimos seis anos da sua vida, a escrever, incessantemente e todas as noites antes de adormecer, uma carta de Amor, para o seu ÚNICO E GRANDE AMOR DA SUA VIDA. Mas essas cartas nunca chegaram ao seu destinatário. Apenas uma certeza se mantém, a de que jamais voltará Amar, pois no ...
    En stock

    14,50 €13,78 €

  • Intraguerras
    Dourado, Beatriz / Escritor
    Un percorrido pola conciencia de sermos mulleres, á espreita dun incerto futuro que nos fende a todas. O noso corpo como compás das traxedias, lugar dos sacrificios, ouvindo antes de tempo o bombardeo que latexa, as mandas na busca da carne fresca que o mundo require como sacrificio. O noso corpo devido en campo de batalla onde cada guerra doe e marca. Nosoutras, as mulleres ar...
    En stock

    8,50 €8,08 €