O Fazedor de nadas
-5%

O Fazedor de nadas

Morais da Silva, Laura / Escritor

11,70 €
11,12 €
IVA incluido
Editorial:
Editora Urutau GD7
Año de edición:
2022
Materia
Literatura-teatro
ISBN:
978-65-5900-270-2
Páginas:
114
Idioma:
Portugués
Encuadernación:
Rústica
Alto:
165mm
Ancho:
120mm
11,70 €
11,12 €
IVA incluido
Añadir a favoritos

Faz sentido o teatro? Faz sentido escrever teatro? O teatro escrito é uma tentativa de teatro, não o é, ainda. Mesmo os clássicos da dramaturgia são espinhos cravados na pata do leão à espera de um Jerónimo, mais ou menos santo; à espera da perplexidade, da revelação e da plenitude efémera. O texto de teatro será teatro, talvez, um dia, uma hora, um instante, um ato, ou cinco atos. Será e não será. Viverá entre o oblívio e a memória; como um desejo na mente iludida, um feitiço, ou uma incumbência do acaso. O acaso que junta as pessoas, que as divide, que as torna como que acesas, pelo bater das palmas, pelo despertar da atenção. O teatro da Laura Silva tem essa qualidade do experimento, do sair fora das fronteiras habituais; de se colocar fora do óbvio, do evidente, para observar; para mastigar, para digerir e, porventura, sarar, lamber ou ainda, oferecer, partilhar, recolher e reciclar. Não se trata de um teatro imediato, de um teatro afeito ao mediatismo e à pressa; precisa de tempo. Tem uma ecologia própria. Precisa de atores, precisa de palcos; precisa do ensaio, do pathos; da convivência intensa e apaixonada do ensaio; do processo, da preparação para o espectáculo, do próprio espetáculo, quando se apresenta, brilhante ou baço. O teatro de Laura Silva tem muito dessa devoção pelo teatro, pela crença no teatro, não tanto como um meio salvífico, mas mais como uma prova de vida, uma prova de engajamento e de pudor. A Laura escreve e dirige, codirige, interpreta e, sobretudo, partilha, discute, avança e recua, no seu laboratório, com os seus companheiros, da companhia Parada de Elefantes. Os elefantes são bichos pesados e a escrita da Laura tem peso, é palavrosa porque memorial; tem muito para dar e muito de onde se pode retirar; como se sobrepusesse camadas sobre camadas, alvitrando uma espécie de arqueologia de si, ao cuidado do leitor, do ator ou do espetador. Trata-se de uma escrita aberta e prenhe; uma gravidez verbal, que diz e não diz, que se quer útil e manobrável. Mas, também, preciosamente, inútil, como uma joia de que se precisa; que a vaidade, como o sal da terra, pode ser a sedução com malícia bastante. É portanto uma escrita avessa àquilo que poderiam ser as manobras fulgurantes de uma juventude atrevida; a Laura Silva não quer ser jovem, nem imbecil, provavelmente não sabe o que quer, e se o sabe, diverte-se com o assunto sem lhe dar importância; assenta-lhe bem a palavra compromisso, como qualquer coisa de duradouro e de confiável, que permite pensar que, independentemente, de maior ou menor sucesso, da sorte, azar, ou coisa nenhuma, a Laura Silva e a sua Parada de Elefantes estão aí para fazer estragos. E agora? Que a ágora se abra ao futuro.

Carlos J. Pessoa

Artículos relacionados

  • Quatro peças para outras formas de vida
    Branco, Miguel / Escritor
    A primeira coisa que me disseram sobre o Miguel foi que escrevia bem. Além disso, só sabia que era jornalista e vivia em Almada. O facto de ser muito jovem tornava intrigante a sua presença regular na secção de cultura do i, ostentando já metade do volume de barba que o caracteriza. Mas o que mais me impressionou foi a sua dedicação ao teatro que se fazia em Portugal, tão inten...
    En stock

    13,00 €12,35 €

  • Aracne, no te líes
    Ugarte, María José / Escritor Herranz, Santiago / Escritor
    Cuatro piezas de teatro cortas escritas desde la ternura y la risa. “Aventuras y desventuras de Clementina…”. El viaje de una cándida crítica gastronómica envuelta en mil avatares. “Por amor al arte”. Una trama urdida por los guardias de un museo unen a dos bandas de ladrones y sus mascotas. “¿Y ahora qué hacemos?” Reunión de emergencia de los personajes que por el mundo hacen ...
    En stock

    14,00 €13,30 €

  • Caput Vitae
    Cuello González, Iván / Escritor
    Tres jóvenes despiertan encerrados en una sala vacía y mal cuidada. Su única relación con el exterior es una voz distorsionada que los califica como bacterias para la sociedad.En el momento en que Axel entra forzosamente en la sala, la historia se dispara en una carrera por la supervivencia y el autocontrol mental. Todo mientras se repiten una y otra vez las palabras «Caput Vit...
    En stock

    14,00 €13,30 €

  • Sei personaggi in cerca d'autore
    Pirandello, Luigi / Escritor
    En stock

    16,59 €15,76 €

  • 1945. Comedia del porvenir
    Maura, Honorio / Escritor
    En stock

    16,50 €15,68 €

  • Three Plays
    Garcia Lorca, Federico / Escritor
    En stock

    13,00 €12,35 €